Feliz Dia Da Libertação De Impostos 2018!

Celebra-se hoje em Portugal, dia 16 de Junho, O Dia da Libertação de Impostos. O Dia da Libertação de Impostos representa o dia em que em média os trabalhadores deixam de trabalhar para o estado (apenas para pagar impostos e assim cumprir as suas obrigações fiscais) e passam a trabalhar para si. Na prática, somos todos trabalhadores do estado durante quase meio ano.

Venezuela – o país onde se fez tudo bem

Apesar de não parecer a quem acompanha a imprensa portuguesa, há fome na Venezuela. O país está a ferro e fogo com a calamidade económica que se abateu. Esta situação certamente apanhará muitos comentadores políticos de surpresa. Afinal, desde que Chavez subiu ao poder, a Venezuela seguiu todas as políticas económicas certas (todas as receitas recomendadas pelos intelectuais socialistas).

Breves reflexões liberais sobre o 25 de Abril

Para concluir, não alinho com reaccionários saudosistas de direita nem com revolucionários utópicos de esquerda. Uns pretendem voltar a um passado ideal, que nunca existiu, e outros pretendem impor à força um futuro perfeito alienado da realidade, que nunca existirá (ainda se ouve constantemente falar em "cumprir Abril"). Sou pela liberdade, com a responsabilidade e prudência que a acompanham lado a lado. Com o 25 de Abril, com o 25 de Novembro e, posteriormente, com a nossa entrada na UE (com todos os defeitos que possa ter) somos mais livres.

Começar do zero? Não.

A diferença entre um liberal e um conservador é que o primeiro não se opõe à mudança, acolhe-a, aceita-a e adapta-se. Mas uma coisa é a mudança bottom-up, resultado da interação das pessoas e da tecnologia, da "ordem espontânea", e outra é a mudança top-down, imposta por um grupo, que resulta da revolução.

O Marketing do Bem (socialista)

Um dos maiores feitos de marketing da história vem, paradoxalmente, da ideologia que mais o condena. Poucas foram as ideias que se conseguiram vender tão bem como as anti-capitalistas. Estas, por sua vez, criaram uma aura à sua volta que é, no mínimo, curiosa. O produto foi tão bem vendido que lhe cabem os mais airosos adjectivos: humanista, libertador, preocupado com o bem e com o ser humano. Já ao pensamento liberal (ou o que não se coaduna com a esquerda, no geral) cabem as mais infames descrições: desde egoísta até anti-humanista, passando por opressor ou “fascista”.

A Cultura do Ressentimento

Uma das formas mais fáceis de atenuar este problema abismal é querer que o resolvam por nós ou simplesmente atirar a culpa para um terceiro, para uma estrutura ou abstração social. A base do ódio organizado à beleza e à riqueza (mascarado de impostos progressivos em nome da justiça “sócio-estética”) é, a rigor, o bom e velho ressentimento. Luta de classes é a fantasia que se tem contra os mais afortunados e mais competentes, ou seja, ressentimento.

O último baluarte do esquerdismo

A única solução é fortalecer o indivíduo, não actuar como autoritários e colocar os cidadãos em "gavetas". Desde a arrogância de acreditarem no direito de decidir, até defenderem que a propriedade dos outros deve ser distribuída, passando pela necessidade de moldar a sociedade segundo as suas visões, a conclusão que se tira é que não há limites ao autoritarismo da esquerda dura. A necessidade de controlar e de reprimir pensamentos contrários é perene e não parece que vá desaparecer assim tão cedo.

Serviço Militar Obrigatório é Servidão Involuntária

Em suma, quem quer ser militar pode alistar-se. Quem não quer, segue a sua vida.

Comunismo e Nazismo: tudo a mesma…

Marx e Hitler, pais do Comunismo e Nazismo (que vem das palavras Nacional Socialismo), tinham diferenças, mas também bastantes semelhanças.

Totalitarismo do Bem

Uma das chaves para entender este “monopólio da imundície” é perceber que, na visão do déspota, o governo totalitário não se caracteriza por perpetuar o mal a todos os seus servos. Pelo contrário, o totalitário é aquele que, julgando ter compreendido o mundo, pretende cuidar de todos os aspectos da vida dos seus escravos.