O que é o Liberalismo ?

O liberalismo é um modo de entender a natureza humana e uma proposta destinada a possibilitar que todos alcancem o mais alto nível de prosperidade de acordo com seu potencial (em razão de seus valores, actividades e conhecimentos), com o maior grau de liberdade possível, numa sociedade que reduza ao mínimo os inevitáveis conflictos sociais. … Continue reading O que é o Liberalismo ?

A Lei, segundo Bastiat

“Quando a lei e a força mantêm um homem dentro da justiça, não lhe impõem nada mais que uma simples negação. Não lhe impõem senão a abstenção de prejudicar outrem. Não violam a sua personalidade, a sua liberdade, nem a sua propriedade. Elas somente salvaguardam a personalidade, a liberdade e a propriedade dos demais. Mantêm-se na defensiva puramente e defendem a igualdade de direitos para todos.”

Roubo institucionalizado

O estado não opera num mercado livre e pode sempre extorquir de forma coerciva (mas sempre legal) até 100% da propriedade dos seus cidadãos – e isto, sem ter que oferecer qualquer bem ou serviço útil como contrapartida ao contribuinte. A grande diferença está pois entre a coerção e a liberdade.

Uma defesa da humildade

No seu discurso de recepção do Prémio Nobel de economia, Hayek proferiu: “o esforço fatal do homem no sentido de controlar a sociedade – esforço que não apenas faz do homem um tirano de seus concidadãos, mas também pode levá-lo a destruir uma civilização que não foi engendrada por cérebro algum: uma civilização que tem prosperado como resultado dos esforços livres de milhões de indivíduos.” Ámen.

Lá Boétie, figura esquecidas do Liberalismo

O verdadeiro colapso do Estado não é levado a cabo por revoluções, guerras ou reformas políticas, mas sim por um movimento generalizado de não-crença, uma forma não violenta de apatia generalizada face aos supostos poderes estatais.

Liberdade absoluta, responsabilidade relativa

​​Oh, se não é confortável enunciar liberdades quando a Constituição é catita e a opinião desviante cai mal no estômago. A pintura de Norman Rockwell que aqui vos mostro inspira-se no famoso discurso de FDR, The Four Freedoms, que deu uma volta de 180º na tradição relativamente isolacionista ou, pelo menos, prudente da política externa … Continue reading Liberdade absoluta, responsabilidade relativa

O direito de ignorar o Estado ?

Este capítulo visou expor uma das conclusões lógicas que Spencer retirou daquela que classificou como "a lei da igual liberdade." Sendo um profundo crente na liberdade individual, Spencer definiu assim o princípio fundamental de uma sociedade justa e harmoniosa: "Qualquer pessoa tem a liberdade de fazer o que desejar, contanto que não infrinja uma igual liberdade da parte de qualquer outro."

Apropriação Cultural ? À vontade

Apropriar é basicamente tornar como nosso algo que não o é. Mas uma cultura pode ser considerada propriedade? Um modo de vestir é algo exclusivamente meu? Um costume da minha casa é algo só nosso que mais ninguém pode ter? Óbvio que não. Eu não perco a minha propriedade (a minha roupa, o meu cabelo, o meu comportamento, o que seja) porque outro tem ou faz algo igual. Logo este conceito de "apropriação cultural" está errado logo no nome. É falso.

A Cultura do Ressentimento

Uma das formas mais fáceis de atenuar este problema abismal é querer que o resolvam por nós ou simplesmente atirar a culpa para um terceiro, para uma estrutura ou abstração social. A base do ódio organizado à beleza e à riqueza (mascarado de impostos progressivos em nome da justiça “sócio-estética”) é, a rigor, o bom e velho ressentimento. Luta de classes é a fantasia que se tem contra os mais afortunados e mais competentes, ou seja, ressentimento.

O último baluarte do esquerdismo

A única solução é fortalecer o indivíduo, não actuar como autoritários e colocar os cidadãos em "gavetas". Desde a arrogância de acreditarem no direito de decidir, até defenderem que a propriedade dos outros deve ser distribuída, passando pela necessidade de moldar a sociedade segundo as suas visões, a conclusão que se tira é que não há limites ao autoritarismo da esquerda dura. A necessidade de controlar e de reprimir pensamentos contrários é perene e não parece que vá desaparecer assim tão cedo.